Notas de ImprensaNotícias

Smart Glasses: uma nova forma de trabalhar

 

SMART GLASSES: UMA NOVA FORMA DE TRABALHAR

A dynabook vê os Smart Glasses como uma solução para melhorar a produtividade das empresas.

Lisboa, 16 de maio de 2019 – A dynabook tem visto os smart glasses a tornarem-se cada vez mais comuns, não apenas no setor industrial, mas também nos setores da saúde e da segurança. Apesar dos desafios, o potencial para a tecnologia wearable é cada vez maior, onde de acordo com a Salesforce, 79% dos empresários acreditam que é estratégico para as empresas.

Como ainda não existe um sector que predomine a utilização dos smart glasses, diversos setores encontraram nos wearables uma solução mãos livres para o seu trabalho diário. Um exemplo é o setor da saúde. Os smart glasses inicialmente não foram criados com o objetivo de trazer assistência aos médicos, no entanto foram implementados em várias especialidades médicas. Os monitores nos óculos podem ser implementados para objetivos básicos, como a educação, simulação, transmissão em tempo real dos dados visualizados (por exemplo, sinais vitais, exames de imagem, resultados de testes, etc.), bem como funções mais interativas, incluindo a documentação de informações do paciente. Isto garante que seja registado com precisão e eficácia em conformidade com os padrões da indústria.

Os smart glasses também têm ganho o seu espaço na área da segurança. Graças a este sistema, as polícias quando estão em perseguição ou à procura de um suspeito podem ter informação disponível mantendo as mãos sempre livres.

De acordo com a dynabook, nos próximos meses, as principais prioridades de quem toma as decisões de TI são: segurança de dados, soluções baseadas na cloud e melhoria de produtividade. Os smart glasses vão fazer parte destas decisões, no entanto, a dynabook também relembra que com a introdução destes dispositivos, as empresas devem ter em conta a modificação nos processos empresariais, a segurança dos dados e a integração à infraestrutura já existente da empresa. O dynaedge juntamente com os AR100 Viewer smart glasses da dynabook operam com o Windows 10 como este é o Sistema operativo utilizado maioritariamente nas empresas, a integração é fácil e segura.

À medida que esta nova forma de trabalhar começa a ser inserida nos diversos setores, nenhuma empresa pode ficar para trás. Já que ao não se adaptarem a estes novos ambientes, vão permitir que os seus concorrentes ganhem predominância. Mas é importante saber onde e como podem ser utilizados os smart glasses em cada empresa para melhor a produtividade. A dynabook tem algumas questões que ajudarão qualquer empresa a perceber onde os smart glasses podem potenciar o seu negócio:

  • Quais são os processos ou tarefas na sua empresa onde pode melhorar através de notificações instantâneas, informações contextuais (em tempo real) e portabilidade incomparável oferecida por wearables?
  • O que precisa um trabalhador para realizar uma tarefa específica? Como pode um dispositivo wearable encaixar nas ações que os funcionários já realizam? Como pode um wearable tornar essas ações / tarefas mais fáceis, mais rápidas, mais eficazes e / ou mais seguras?
  • Quais são os sistemas de informação que os trabalhadores precisam aceder para as suas funções ou para realizar tarefas específicas, e como é que a tecnologia wearable pode fornecer esse acesso ou gerar as informações necessárias?
  • O que realmente significa um colaborador utilizar um dispositivo wearable? Os colaboradores vão ter que se acostumar a usar algo novo para o seu dia a dia; eles podem precisar aprender como usar a tecnologia (por formação), assim como geri-la. Como é que os wearables podem ser incorporados no dia a dia dos colaboradores?
Previous post

QNAP lança o Sistema Operativo QES 2.1.0

Next post

FCA lança “RGPD – Guia para uma Auditoria de Conformidade”

Luís Alves

Luís Alves

Cargo: Fundador & CEO
Naturalidade: Santa Maria da Feira

Atualmente no 5º ano do Mestrado Integrado em Engenharia Mecânica na FEUP (especialização Automação), licenciado em Engenharia Mecânica pelo IPV.

Sou o moda’a’foca original, um dos guru do modding e tecnologia em Portugal. Desde novo autodidata, sempre gostei de criar, inventar e inovar. Na base tecnológica gosto além do modding, de sistemas de refrigeração a água, hardware e um novo fascínio pela impressão 3D. Considero bastante importante a partilha de conteúdos e conhecimentos.

Desde Abril de 2014 podem também me encontrar na Rubrica PLUG da revista PCGuia todos os meses. Em Julho de 2017 fundei as Hashtag Dondoca, um projeto de Lifestyle no feminino em português onde sou director artístico.