Análises

Batalha do Pacífico: A Revolta

Um filme que começa a perder o interesse no momento que começa a ação.

Batalha do Pacifico: a Revolta é um filme que se centra em Jake Pentecost, filho de um herói de guerra, que tem como desejo não ser como o pai. Mas logo nos primeiros minutos de filme Jake vê-se obrigado a ser um Ranger e a ensinar, junto com Nate, os cadetes a pilotar um Jaeger. Nesses cadetes, e a principal razão para Jake voltar à corporação, está Amari Namani uma rapariga que foi capaz de construir e pilotar um pequeno Jaeger. A partir deste momento toda a narrativa da história é acelerada e mais nenhuma personagem é explorada. A apresentação do vilão contempla algumas voltas mas deixam imensas pontas soltas.

O pior de todo o filme na minha opinião foram as imensas falhas físicas do filme, que para um filme de Ficção Cientifica, esperava-se a aplicação de mais leis da física e as que são ficção fossem um pouco melhor explicadas.

O filme parece ter sido conduzido a alta velocidade e isso prejudicou imenso o envolvimento que os espectadores teriam com o filme.

Batalha do Pacífico: A Revolta

Batalha do Pacífico: A Revolta
4

Nota final

4.0 /10

Prós

  • Qualidade de efeitos especiais

Contras

  • Filme de ficção científica que apresenta inúmeras falhas de físicas durante o filme
  • Má exploração de personagens
  • História interessante mas pouco explorada
Previous post

Como abordar roscas em peças 3D

Next post

Ready Player One

Paulo Castro

Paulo Castro

Cargo: 3D Print R&D
Naturalidade: Vila do Conde
Licenciado em Engenharia Mecânica pelo ISEP e com Grau de Mestre em Engenharia Mecânica, com especialização em Automação, na FEUP. Gosto de aprender coisas novas e por essa razão estou sempre à procura de algo novo para fazer. Tendo a oportunidade de adquirir uma impressora 3D não hesitei e desde então tenho explorado tudo este novo mundo.