AnálisesHardware

Kingston – HyperX Fury SSD

Header

O SSD HyperX FURY oferece um impressionante desempenho a um baixo preço. Com um formato reduzido de 7 mm e o controlador SandForce® SF-2281 com desempenho SATA Rev 3.0 (6Gb/s) para um arranque do sistema, carregamento de aplicações e execução de ficheiros mais rápidos, bem como o carregamento de mapas e níveis a uma velocidade superior. A sua NAND sincronizada permite um desempenho da unidade mais elevado e mais consistente.

Condições de teste

Hardware Desktop
Fonte: Corsair Modular CX600M 80PLUS Bronze
Motherboard: Asus H97M-Plus Intel H97 SK1150
Processador: Intel Core I5 4460 3.2GHz (3.4GHz Turbo) 6MB BOX
Memorias: KINGSTON KIT 8GB DDR3 1866MHZ HYPERX White
Disco HDD: WESTERN DIGITAL 1TB SATA III 64MB GREEN

Cooling:
WC Kit: Phobya Pure Performance 240LT

Dados sobre o produto

Tipo de produto: SSD
Nomes comuns utilizados: HyperX Fury
Função/utilização alvo:
Gama da preços: 90€

Vídeo Análise

Para este produto decidi fazer um vídeo completo com tudo sobre ele: unboxing, overview, análise dos vários pontos que considero importantes, benchmarking e uma breve conclusão.

Análise completa no fórum

Editor's Rating

Desempenho escrita 50%
Desempenho leitura 100%
Tempo de acesso 100%
Longevidade 80%
Qualidade construcção 80%
Temperatura/Ruído/Consumo 100%
Funcionalidades extra 80%
Design 90%
No geral é um SSD bem rápido pelo preço que está no mercado e é uma optima escolha para quem pretende melhorar significativamente o desempenho do seu sistema, a um preço mais acessivel.
85
Previous post

QNAP lança NAS empresarial ECx80U series

Next post

Puro - Ultra Thin Sleeve

xpect

xpect

Cargo: Linux Guy
Naturalidade: Lisboa

O meu nome é André Paula, tirei um curso Técnico Profissional de informática com especialização em manutenção de hardware, na Escola Profissional de Setúbal.

Considero-me curioso e autodidata em especial no ramo informático. Gosto de aprender coisas novas e estar sempre atualizado com as novidades tecnológicas.

Relativamente ao Linux, o meu primeiro contato foi na escola, tendo aprendido os comandos básicos, criação de boot pens e recuperação de sistemas windows via linux. As distribuições que usei inicialmente foram o Ubuntu, o Kurumin e o Mandrake (já descontinuados), mas não dei continuidade depois de terminar o curso, talvez por falta de incentivos, não sei.

Depois de uns bons anos, voltei a experimentar uma distribuição Linux, que na altura foi Ubuntu 12.04 e apartir dai até hoje.

Portanto, todos os videos, artigos e podcast que faço, têm como objetivo ensinar e mudar mentalidades, mudar a forma como as pessoas em geral encaram o Linux e mostrar que existem alternativas ao que é tradicionalmente usado. Este percurso foi o que me levaram a fundar o LinuxTech.pt - https://linuxtech.pt/