AnálisesJogos

Beasts of Maravilla Island

Introdução

Data de lançamento: 12 de junho de 2021

Plataformas: PC e MAC

Desenvolvedor: Banana Bird Studios, LLC

Preço: 8.19€ (em desconto a 7.37€ na Steam)
Descrição: Em Beasts of Maravilla Island, desenvolvido pela Banana Bird Studios LLC, somos a fotógrafa e exploradora Marina Montez, que com o diário e máquina fotográfica do seu avô parte à descoberta das maravilhas desta ilha mágica. São mais de 50 criaturas, de tamanhos diferentes, distribuídas por 3 zonas diferentes. Além de fotografar e documentar os seus hábitos também existem puzzles para resolver. Com um visual fora do habitual, vamos partir à descoberta da primeira meia hora desta aventura e tirar umas selfies!

Metodologia

Género: Aventura, Acção, Casual

Modo: PVE

Condição de vitória: Terminar o modo história

Gameplay Overview: Em Beast of Maravilla Island desembarcam numa ilha, outrora muito bem documentada pelo vosso avô, para capturar fantásticas fotos do que lá encontram. O jogo é na terceira pessoa e movimentam Marina pela ilha de diário e máquina fotográfica nas mãos. Com simples cliques, controlam os vários aspectos da máquina e no timing perfeito uma foto nova para o glossário, fechando novas tarefas e atividades complementares. Existe uma divertida função de selfie, capaz de nos fazer rir por vários minutos, de tão parvo que o resultado consegue ser, no bom sentido!

Gráficos & Som

Para compreenderem a dinâmica do jogo, os seus gráficos e som, fiquem com a nossa primeira meia hora:

Análise

Interface: É tudo bastante simples, num HUD muito minimalista. Quer a máquina fotográfica (que tem opção de selfie) como o diário que nos serve de base estão bem construídos.

História: Seguem as pisadas do vosso avô na descoberta de uma ilha mágica. O jogo é relativamente curto e em pouco tempo estão a caminhar sobre longas árvores e floresta densa, que nos deu uma certa nostalgia para os dias em que Tarzan era o pouco que existia sobre este tipo de vivências. Cabe-vos a tarefa de caminharem pela ilha, absorverem todas as estações e capturar todos os momentos. O número de memórias ser limitado torna tudo mais “real”.

Comunidade: Tem uma pequena comunidade online no Discord.

Sensação de Recompensa: A fauna e flora é engraçada e dá um certo gosto partir à descoberta e de todas a características únicas de cada espécie. Como não é um jogo muito longo, caso este aspecto não combine convosco, não é uma obrigação para terminar a campanha, e está tudo bem.

O que mais gostamos: O grafismo utilizado é interessante e os monstros são muito engraçados. As flores seguem um aspecto menos improvisado mas complementam bem o que de outra forma seria um “Beast Snap”, fazendo a analogia com o famoso jogo da série Pokémon.

O que menos gostamos: Vários erros, sobretudo na movimentação pelo ambiente em terceira pessoa, chegando a entrar dentro dos objetos. Isto corta a sensação cinemática que o grafismo permitiria.

Conclusão

Beast of Maravilla Island é dentro dos “Photography Games” uma opção indie muito interessante, com gráficos giros e uma temática engraçada, que resulta numa boa aventura. É um jogo curto, que pode demorar mais conforme mais rigorosos e parvos (graças ao modo selfie) formos para a construção do nosso portfólio. Existem alguns erros na componente da jogabilidade que podem desiludir algumas pessoas, por problemas na detecção de colisão com o tracking da personagem Marina. Mesmo com este problema, é um jogo que sem dúvida recomendo para os fãs do género.

Beasts of Maravilla Island

8.19€
7.9

História

8.0/10

Gráficos

9.0/10

Jogabilidade

6.0/10

Otimização

8.0/10

Longevidade

7.0/10

Cinemática

8.0/10

Música

9.0/10

Prós

  • Variedade de animais e flora
  • O diário e álbum são interessantes de concluir
  • Gráficos adequados a uma experiência destas

Contras

  • Vários bugs no jogo
  • Curto de mais
Previous post

Razer Wolverine V2 [Gamepad]

Next post

Razer com campanha de regresso às aulas durante todo o mês de setembro

Luís Alves

Luís Alves

Cargo: Fundador & CEO
Naturalidade: Santa Maria da Feira

Atualmente no 5º ano do Mestrado Integrado em Engenharia Mecânica na FEUP (especialização Automação), licenciado em Engenharia Mecânica pelo IPV.

Sou o moda’a’foca original, um dos guru do modding e tecnologia em Portugal. Desde novo autodidata, sempre gostei de criar, inventar e inovar. Na base tecnológica gosto além do modding, de sistemas de refrigeração a água, hardware e um novo fascínio pela impressão 3D. Considero bastante importante a partilha de conteúdos e conhecimentos.

Desde Abril de 2014 podem também me encontrar na Rubrica PLUG da revista PCGuia todos os meses. Em Julho de 2017 fundei as Hashtag Dondoca, um projeto de Lifestyle no feminino em português onde sou director artístico.