AnálisesJogos

Persephone

Introdução

Data de Lançamento: 11 de fevereiro de 2021

Plataformas: PC(Steam) – Switch – XBoxOne

Desenvolvedor: Momo-pi

Preço: 6.59€ (Steam) – 5.00€(Switch) – 7.29€ (Xbox)

Descrição: Persephone é um jogo 2D isométrico de puzzles que explora o seguinte:

  • E se a morte num jogo não for o final, mas sim a chave para resolver os níveis?
  • Onde, como e quando escolhes morrer para poder prosseguir?

Vais incarnar Persephone, uma jovem rapariga que tenta chegar ao fundo do inferno para conhecer o amado Hades. Mas ela nunca vai suspeitar que a sua mãe Demeter vai tentar impedir que os apaixonados fiquem juntos por muito mais tempo.

  • A morte não é o final, mas uma ferramenta de progresso
  • O jogo não contém textos nem letras. O jogador tem que aprender as regras por si só.
  • Mesmo a morte sendo o centro do jogo os visuais são coloridos e bonitos para dar um agradável contraste.
  • O jogo é enriquecido com excelentes músicas feitas por um compositor clássico académico.

Metodologia

Género:  Indie – Puzzle Game

Modo: PVE

Condição de Vitoria: Avançar os níveis e os capítulos até atingir o final.

Gameplay Overview: Cada puzzle é apresentado ao jogador sem qualquer palavra e o jogador tem que descobrir por si só o que fazer e como fazer. Os pontos cruciais do gameplay estão explicados na descrição por isso se entrarem no jogo sem ler nada vão ficar um pouco perdidos pela falta de explicações. Mas percebendo a proposta só resta ao jogador passar os niveis, mas se mesmo assim ainda não conseguir avançar o jogo dá a solução numa velocidade rápida para o jogador não copiar simplesmente a solução, mas sim perceber onde pode estar a errar e continuar a tentar.

Gráficos & Som

Fiquem com uma lista de reprodução do nosso gameplay no jogo:

Análise

Interface: O Menu é simples, mas sem grandes explicações. Navega-se pelos capítulos e níveis de cada um muito facilmente.

História: Não é revelado muito durante o jogo, mas das pequenas cinemáticas que aparecem a história é introduzida de forma simples e agradável, mas fica uma sensação de que falta algo.

Comunidade: Amantes de Indies e Puzzle Games podem gostar deste jogo. É promissor, mas não arrasta consigo uma grande comunidade apesar de que merece ser jogado.

Sensação de Recompensa: É gratificante quando se termina um nível e avança na história.

O que mais gostamos: Temática fora do comum e bem-vinda. Nem sempre a morte pode significar o fim.

O que menos gostamos: Alguma dificuldade em perceber alguns mapas por causa da isometria.

Conclusão

Jogo simples com temáticas e ideias fora do comum. As propostas dos desenvolvedores estão bem aplicadas e são reconhecíveis facilmente e entendem-se apesar de não existir uma única palavra durante todo o jogo.

É um jogo que, devido ao seu género, leva um pouco a completar e caso estejamos presos num nível o jogo dá a solução (em velocidade rápida). Cabe ao jogador perceber onde está a falhar e voltar a tentar.

Amostra cedida por Keymailer

Persephone

5€
8.4

História

6.0/10

Gráficos

8.0/10

Jogabilidade

9.0/10

Otimização

10.0/10

Longevidade

9.0/10

Cinemática

8.0/10

Música

9.0/10

Prós

  • Música calma e relaxante para contrariar a frustração de falhar os puzzles
  • Visuais bonitos e coloridos e simples para contradizer com a temática de morte constante no jogo

Contras

  • Vista Isométrica por vezes pode complicar a jogabilidade por não ter total perceção do mapa
Previous post

Mergulhe no futuro do áudio para jogos com o headset Xbox Wireless

Next post

Razer Kiyo Pro - Webcam com sensor CMOS 1/2.8 com tecnologia STARVIS

Paulo Castro

Paulo Castro

Cargo: 3D Print R&D
Naturalidade: Vila do Conde
Licenciado em Engenharia Mecânica pelo ISEP e com Grau de Mestre em Engenharia Mecânica, com especialização em Automação, na FEUP. Gosto de aprender coisas novas e por essa razão estou sempre à procura de algo novo para fazer. Tendo a oportunidade de adquirir uma impressora 3D não hesitei e desde então tenho explorado tudo este novo mundo.